Deputado cearense quer criar o Dia Nacional do Jumento

Imagem reproducao do facebook do candidato a prefeitura de Fortaleza em 2020, Celio Studart. (FotoReprodução/Facebook) (Foto: Reprodução)

O deputado federal Célio Studart (PV) apresentou um projeto de lei à Câmara dos Deputados que visa criar o Dia Nacional do Jumento, a ser comemorado no dia 13 de maio. Célio fez carreira política no Ceará tendo como principal bandeira a defesa de animais abandonados e alvos de maus-tratos. Vale lembrar que 13 de meio é também o Dia da Abolição da Escravatura, com a assinatura da Lei Áurea pela Princesa Isabel.

Para defender a proposta, o parlamentar apresenta duas justificativas. A primeira é que é homenagear o Padre Antônio Batista Vieira, "padre, advogado, economista, filósofo, professor, escritor, jornalista e político, nascido no sertão cearense, e fundador do Clube Mundial do Jumento em 1996".

Segundo o deputado, "Padre Antônio Vieira, dentre muitas ações em defesa pioneira dos jumentos no Brasil, enviou uma carta ao então Presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), solicitando a instituição do Dia Nacional do Jumento no dia 13 de maio. Porém, tal solicitação não foi atendida e o presente projeto de lei tem o condão de atender ao pedido de tão importante cidadão cearense e brasileiro".

A segunda finalidade, segundo o parlamentar, é "conscientizar a população sobre a importância de proteger os jumentos, que são patrimônio nacional, histórico e cultural. A espécie está correndo o risco de extinção devido a ações extrativistas perpetradas por empresários e com o aval do governo brasileiro".

Entre essas ações extrativistas contra os jumentos, o deputado cita "captura ou compra, transporte irregular, confinamento e abate para exportação de sua pele para a fabricação do ejiao, produto da medicina tradicional chinesa". O ejiao é um tipo de gelatina feita à base da pele de burro. É indicado principalmente para mulheres que sofrem de anemia, tosse seca ou vertigem.

Célio Studart destaca ainda uma série de crueldades que são praticadas contra esses animais. "São privados de água, alimento, cuidados técnicos veterinários, necessidades da espécie. Além disso, durante esse processo, animais doentes, filhotes e fêmeas prenhes vêm a óbito de forma recorrente", destaca.

O deputado ressalta, mais uma vez, o risco de extinção da espécie. "Estima-se que em poucos anos a população de jumentos estará extinta no Brasil, como vem acontecendo em outros países do mundo". O projeto de lei para a criação do Dia Nacional do Jumento foi apresentado no último dia 23 de fevereiro.

O Povo

0/Comentários

Postagem Anterior Próxima Postagem