-->
Forças de Segurança apreendem 2.999 armas de fogo no primeiro semestre de 2021 no Ceará

Forças de Segurança apreendem 2.999 armas de fogo no primeiro semestre de 2021 no Ceará

Um total de 2.999 armas de fogo foram apreendidas no primeiro semestre de 2021, no Ceará. Os números foram divulgados pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) nesta sexta-feira (8), mesma data que marca o Dia Mundial pelo Desarmamento, criada pela Organização das Nações Unidas (ONU). O dia simboliza a preocupação das nações em relação ao tema, visando à redução de mortes e da violência em geral.

No Ceará, o número total de 2.999 armas apreendidas pelas Forças de Segurança supera o número do primeiro semestre do ano passado, quando foram apreendidas 2.856. São 5% de acréscimo se comparados os dois períodos. O ano passado já havia fechado seus 12 meses com 6.117 armas retiradas de circulação e um aumento de 11,6% em comparação a 2019, quando 5.479 armas, entre revólveres, pistolas, espingardas, fuzis, rifles e outros tipos de armamentos, foram apreendidas. Neste ano, com esse total de 2.999 armas, foram quase 499 armas apreendidas por mês e quase 97 por dia.

“É muito uso de inteligência para aumentar a efetividade das ações da Polícia Civil e da Polícia Militar. É o uso também de ferramentas tecnológicas recentemente lançadas, como o Agilis e o Status, além de ferramentas que também já estavam à disposição como o Spia (Sistema Policial Indicativo de Abordagem). Tudo isso dentro de uma estratégia de integração entre as Polícias. Saliento também que o Estado tem uma média de três mil capturas por mês, seja pela Polícia Militar ou pela Polícia Civil, por envolvimento com o crime”, ressaltou o secretário da SSPDS, Sandro Caron.

O gestor aproveitou para reforçar que as ações policiais que resultam nessas apreensões se baseiam por dados estatísticos gerados pela Superintendência de Pesquisa e Estratégia de Segurança Pública (Supesp). “É um trabalho de forma integrada entre a Polícia Civil e a Polícia Militar. Usamos muito das estruturas de inteligência da Secretaria e das Polícias, e também utilizamos a Superintendência de Pesquisa e Estratégia, que nos auxilia a definir, dentro dos números, quais são os locais dentro de cada cidade em que há uma maior incidência de crimes. E com isso, tanto a Polícia Civil quanto a Polícia Militar conseguem ter mais efetividade em suas ações”, pontua.

SSPDS