Aeroporto de Juazeiro do Norte inicia barreira sanitária para rastrear passageiros com Covid-19

Foto: Divulgação/Prefeitura de Juazeiro do Norte

O Aeroporto Orlando Bezerra de Menezes, em Juazeiro do Norte, no Ceará, instalou nesta segunda-feira (23) uma barreira sanitária para identificar eventuais passageiros com Covid-19. A intenção é rastrear aqueles que possam estar contaminados com a variante delta, mais transmissível.

O monitoramento, com vigilância genômica, acontece diariamente, das 22h30 às 4h30. A ação é feita em parceria entre o município de Juazeiro do Norte e a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa).

Serão testados 20% dos passageiros que desembarcam do Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Pernambuco, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina.

Até o momento já foram confirmadas pela Sesa 62 pessoas com a variante delta (B.1.617), dos quais 13 são de transmissão comunitária. Segundo a Sesa, os outros 49 casos que não se enquadram como de transmissão comunitária foram identificados em pessoas que ou passaram pelo Centro de Testagem de Viajantes, instalado no Aeroporto Internacional de Fortaleza, ou foram rastreadas pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs). Três desses casos são de pessoas que trabalham no Aeroporto de Fortaleza.

O Ceará terá um período de quarentena obrigatório para passageiros identificados com Covid-19 no aeroporto de Fortaleza. Conforme decreto publicado em 7 de agosto, em cada voo proveniente de outro estado ou país, serão testados 20% dos passageiros.

"Como forma de conter o ingresso de novas variantes da Covid-19 no Estado do Ceará, equipe a Secretaria da Saúde procederá à testagem de 20%, por voo, dos passageiros provenientes de outros estados do país, conforme o decreto.

Em caso de confirmação, o passageiro deverá "manter-se em quarentena obrigatória, cabendo-lhe prontamente procurar uma unidade de saúde para orientações".

A pessoa poderá deixar a quarentena "após decorrido o prazo definido pela equipe da saúde ou mediante a apresentação de laudo médico liberatório". O descumprimento "sujeitará o autor à responsabilização criminal cabível", conforme o documento.

As medidas foram determinadas após a chegada da variante delta do coronavírus ao Ceará, que tem maior taxa de transmissão e põe em risco uma nova onda da pandemia. Quinze casos da nova cepa foram confirmados no estado.

Fonte: G1 CE

0/Comentários

Postagem Anterior Próxima Postagem