PF combate crimes de corrupção, fraude a licitações, lavagem de capitais e organização criminosa no Ceará


A Polícia Federal deflagrou, nesta quinta-feira (3/12) a Operação ONZENÁRIO para investigar enriquecimento ilícito de servidores públicos, ex-gestores de instituições financeiras e empresários em detrimento do sistema financeiro nacional e dos servidores públicos estaduais do Estado do Ceará, obrigados a arcar com juros mais elevados em operações de crédito.

Estão sendo cumpridos quatro mandados de prisão temporária, 26 mandados de busca e apreensão no Ceará, São Paulo/SP e Salvador/BA e bloqueio de valores em contas dos investigados.

Os mandados foram deferidos pela Justiça Federal, decorrente de investigação em inquérito policial que apura fatos ocorridos entre os anos de 2008 e 2014, consistentes em indícios de conluio entre agentes públicos estaduais, ex-gestores de instituições financeiras e empresários, que atuaram no direcionamento ilícito de operações de crédito consignadas em folha dos servidores do governo do Estado do Ceará.

A investigação policial identificou fluxo intenso de capitais obtidos de forma criminosa em prejuízo dos servidores públicos estaduais, por meio de investimentos, aquisições imobiliárias e simulação de aquisição de cotas de sociedade empresarial, em engenhoso esquema de corrupção e lavagem de capitais. 

Os indícios apontam participação de um Secretário de Estado da Casa Civil do Estado do Ceará à época dos fatos em apuração.  Há também indícios de atuação do genro desse Secretário de Estado à época, gestor de uma das empresas que movimentou mais de R$ 600 milhões nas operações de crédito sob investigação, um dos alvos de mandado de prisão.

Os crimes investigados são de associação criminosa, corrupção, fraude à licitação, crimes contra o sistema financeiro nacional e lavagem de dinheiro.

A Polícia Federal continua a investigação, com análise do material apreendido na Operação ONZENÁRIO, com o fim de detalhar a atuação de cada investigado e aprofundar as investigações em curso.

O nome da operação remete à agiotagem ou cobrança extorsiva de juros.

Será concedida entrevista coletiva à imprensa, às 10h30, na sede da Superintendência Regional da Polícia Federal no Ceará, Av Borges de Melo, 820, bairro de Fátima-Fortaleza/CE.

Comunicação Social da Polícia Federal no Ceará

0/Comentários

Postagem Anterior Próxima Postagem